Freakonomics: O Lado Oculto e Inesperado de Tudo que nos Afeta

Freakonomics: O Lado Oculto e Inesperado de Tudo que nos Afeta

por Steven D Levitt

Descrição

O que é mais perigoso, uma arma ou uma piscina? O que os professores e os lutadores de sumô têm em comum? Por que os traficantes de drogas moram com as mães? Qual a importância real dos pais? Que tipo de impacto teve o caso Roe x Wade, que levou à legalização do aborto nos Estados Unidos, sobre a criminalidade? Talvez essas não pareçam perguntas de um economista, mas Steven D. Levitt não é um economista como os outros. Um acadêmico super aclamado, ele estuda a rotina e os enigmas da vida real - da trapaça à criminalidade, dos esportes à criação dos filhos - e suas conclusões costumam virar de cabeça para baixo o senso comum, geralmente a partir de uma montanha de dados e de uma pergunta simples nunca feita. Algumas dessas perguntas tratam de questões de vida ou morte, outras têm uma natureza assumidamente esdrúxula. Daí surge o novo campo de estudo apresentado neste livro: freakonomics. Steven Levitt e Stephen Dubner demonstram que a Economia é, em essência, o estudo dos incentivos ― como as pessoas conseguem o que desejam ou lhes é necessário, principalmente quando outros desejam a mesma coisa ou dela necessitam. Em ambos se dispõem a explorar o lado oculto de... ora, de tudo. A estrutura de uma gangue de crack; a verdade sobre os corretores de imóveis; os mitos do financiamento de campanhas eleitorais; as pistas que apontam um professor trapaceiro; os segredos da Ku Klux Klan. O que liga essas histórias é a crença de que o mundo moderno, a despeito de aparentemente confuso, complicado e enganoso, não é impenetrável nem indecifrável. Na verdade, quando se fazem as perguntas certas, o mundo é ainda mais interessante do que supomos. É preciso, apenas, uma visão nova. Steven Levitt, por meio de um raciocínio incrivelmente inteligente e objetivo, mostra como é possível ver as coisas de maneira clara nessa barafunda. Freakonomics levanta esta premissa heterodoxa: se a moralidade representa o modo como gostaríamos que o mundo funcionasse, a Economia representa o modo como ele realmente funciona. É verdade que os leitores vão tirar deste livro enigmas e histórias para entreter interlocutores em muitas e muitas festas, mas Freakonomics traz mais que isso. Ele redefine a maneira como encaramos o mundo.

  • #não ficção

Avaliações

Destaques

Destaques

O livro destaque do ano, segundo o The New York Times considerado o melhor livro do ano por The Economist, The Nem York Magazine, Amazon.com e Barnessandnoble.com, vencedor do premio Quill 2005 para o melhor livro do ano sobre negócios. Finalista do Prêmio financial Times/Goldman Sashs para o melhor livro do ano sobre negócios.

Wall Street Journal

Wall Street Journal

"Se fosse economista, Indiana Jones seria Steven Levitt... Um caçador de tesouros ímpar, cujo sucesso se deve à sua verve, coragem e ao seu menosprezo pela sabedoria convencional... Freakonomics se parece com uma história de detetive... Fiz força para descobrir nele algo do que reclamar, mas desisti. Criticar Freakonomics seria como falar mal de um sundae de chocolate. A cereja do bolo, Stephen Dubner... nos faz rir num momento e levar um susto em seguida. Dubner é uma pérola das mais raras."

The New York Times

The New York Times

"Freakonomics é um livro esplêndido, cheio de detalhes históricos improváveis, porém impressionantes, que diferencia o autor da massa de cientistas sociais em voga."

Washington Post Book World

Washington Post Book World

"O cara é interessante! Freakonomics cativa e é um livro sempre interessante, rico em sacadas, cheio de surpresas...[e] abarrotado de ideias fascinantes."

Los Angeles Times Book Review

Los Angeles Times Book Review

"Levitt utiliza ferramentas estatísticas simples, mas elegantes. Chega ao âmago da questão e escolhe tópicos fascinantes. Todos os cientistas sociais deveriam indagar de si mesmos se os problemas em que estão trabalhando são tão interessantes ou importantes quanto os abordados neste livro fantástico."